Blog Crédito Real
Novembro azul

Novembro Azul: conscientização, prevenção e quebra do tabu

Além da prevenção, o movimento visa quebrar o tabu sobre o exame de toque – responsável por afastar homens de consultas que deveriam ocorrer anualmente a partir de seus 50 anos. Saiba mais sobre o Novembro Azul.

Novembro é o mês dedicado à conscientização e prevenção do câncer de próstata – a segunda maior causa de morte por câncer entre os homens no Brasil. De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), estima-se que mais de 60.000 casos são diagnosticados por ano no país. Esse número representa cerca de 29% da população masculina – e, por isso, é necessário quebrar o tabu acerca do exame de toque.

O Novembro Azul

Criado em 1999 por um grupo de amigos australianos que se inspiraram no Outubro Rosa, os homens que faziam parte do movimento deixavam o bigode crescer com a finalidade de chamar a atenção para a saúde masculina.

Dessa forma, a campanha espalhou-se no mundo inteiro como um movimento de conscientização e prevenção às doenças que atingem a população masculina – como os tumores na bexiga, pênis, rim e testículos.

Atenção para os sintomas

Na fase inicial da doença, ela é assintomática – o que demonstra ainda mais a importância do exame preventivo.

Em estágios mais avançados, sintomas comuns são:

– Micção frequente;

– Sangue ou urina no sêmen;

– Disfunção erétil;

– Dor no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos pelos quais a doença pode ter se espalhado;

– Fraqueza ou dormência nas pernas ou nos pés.

Mais que prevenção, é sobre quebrar o tabu

Cerca de 49% dos brasileiros acima de 45 anos nunca realizaram o exame de toque retal. Pesquisadores acreditam que parte desses casos acontecem por conta do preconceito relacionado ao exame, no qual alguns homens afirmam não ser um cuidado “muito másculo”. Ou seja, esta é uma informação preocupante.

No entanto, apesar de não ser o único responsável pelo diagnóstico do câncer de próstata, o exame de toque não deve ser substituído pelo PSA (ou exame de sangue), mas feito juntos – pois a combinação dos dois permite um diagnóstico precoce em 80% dos casos.

Por isso, é importante lembrar os homens à sua volta que o preconceito pode ser um fator de risco para doenças que possuem tratamento e que, ao serem diagnosticadas precocemente, apresentam 90% de chances de cura. Não arrisque sua vida, conscientize-se.

Conscientização, prevenção e informação? Deixa com a CR.

Gostou do Post? Deixe seu comentário aqui!