Blog Crédito Real

As transformações do mercado de locações e tendências para 2022

Nos últimos dois anos, a pandemia do coronavírus transformou todos os setores da sociedade. E entre os impactados está também o mercado das locações.

Com mudanças na forma de morar e trabalhar, além de ciclos de aumento e a chegada de novos concorrentes, o mercado precisou se adaptar.

Assim, para falar um pouco mais sobre isso, convidamos o Carlos Eduardo Ruschel, Diretor Superintendente da Crédito Real, e a Keli Queiroz, Diretora de Locações da Crédito Real. Esse assunto foi o tema do Aluguel em Cena em dezembro.

Como está o mercado de locações atual?

Após um 2020 muito difícil, atualmente o mercado está se reaquecendo. Isso acontece com o movimento das famílias e dos negócios, que buscam novas alternativas para redução de custos ou adequação à realidade de trabalho. Nesse sentido, são movimentos tanto de locação como de desocupação dos imóveis.

Como a pandemia influenciou o mercado de locações?

Segundo Ruschel, a pandemia trouxe algumas situações especiais, seja por necessidade financeira ou por espaço. E tanto no aluguel comercial quanto residencial.

Nos setores em que era possível, precisamos nos adaptar e trabalhar de casa. Isso trouxe uma alteração na organização geral dos lares, muitas vezes observando a necessidade de mais espaço.

Somado a isso, com o risco do desemprego e a perda da renda, as pessoas tiveram que repensar suas moradias.

Nas locações comerciais, os negócios também precisaram olhar para seus modelos. Foi preciso analisar a necessidade de espaço e o quanto era necessário. Como vão ficar os ambientes de negócio? As empresas retomarão as estruturas de antes?

Ao mesmo tempo em que ele enxerga uma tendência na necessidade de contato com as pessoas, que é diferente por vídeo, também observa vantagens no modelo home office. Entre elas, a maior atenção, foco, e pontualidade das reuniões por vídeo.

Tudo isso afeta a montagem de um portfólio de imóveis para investimento, se deve ter mais opções comerciais ou residenciais, por exemplo. São diversas variáveis atuando ao mesmo tempo. Daí a necessidade de olhar o imóvel como produto, negócio, e repensar o ambiente.

Inadimplência em locações comerciais

Antes de mais nada, nesse assunto é preciso lembrar dois pontos:

Primeiramente, os negócios fechados fazem as empresas deixarem de ter receita. E na sequência, os funcionários deixam de ter remuneração.

Isso traz um efeito em cadeia, pois mesmo com pouco dinheiro as pessoas precisam continuar morando. Assim a inadimplência aumentou durante a pandemia.

Nessas horas a administradora de imóveis deve ter um entendimento para identificar o que está acontecendo. E a partir disso buscar negociar os contratos de acordo com cada situação.

Apesar de o mercado ainda não ter se recuperado para os níveis pré-pandemia, a inadimplência está diminuindo. Contudo, em 2022 esse aspecto tende a se normalizar.

Renegociação do aluguel

Com o boom do IGP-M durante a pandemia, trazendo reajustes muito acima dos previstos, surgiu uma grande busca pela renegociação dos aluguéis.

Segundo Ruschel, a regra número 1 é a compreensão de ambas as partes. O proprietário tem que entender que o inquilino está sendo afetado por algo externo. E o locatário precisa compreender que a renda do aluguel é necessária para o dono do imóvel. Assim, a imobiliária fica do meio, conciliando as partes para buscar o entendimento.

Outra dica é observar o valor de mercado do imóvel. Dessa maneira os dois lados podem entender o que é mais adequado no momento, evitando desequilíbrios contratuais.

Movimentos dos grandes portais

O comportamento das pessoas está mudando. Atualmente há uma clara movimentação com as tecnologias para que os serviços tenham outro formato, com mais facilidade e velocidade.

Assim, apesar de uma imobiliária ter uma natureza mais “cartorial”, pela necessidade de registros e documentos, é preciso enxergar o negócio de outra forma. Surge a necessidade de entender cada vez mais o cliente e encontrar alternativas.

É uma nova jornada do cliente, na qual as empresas devem encontrar soluções para as dores do proprietário e do locatário. Isso passa pela locação, moradia e desocupação.

Dessa maneira, ao mesmo tempo em que os novos portais são uma ameaça aos negócios, com novas ofertas e serviços, são tão também oportunidades. Afinal eles nos tiram da zona de conforto e nos incentivam a tornar nosso negócio melhor.

Aluguel em Cena – Dezembro 2021

Quer conferir esse bate-papo completo, gravado ao vivo?

Clique no vídeo e assista o Aluguel em Cena de dezembro na íntegra:

Ficou com alguma dúvida sobre esse ou outro assunto relacionado ao mundo dos aluguéis? Mande suas perguntas para o e-mail juridico@creditoreal.com.br e nós ajudamos você.

Gostou do Post? Deixe seu comentário aqui!